top of page
NunOrganistA 0006.jpg
nunorganista-0013.jpg
nunorganista-0201.jpg
nunorganista-0103.jpg

LEGENDS

CORRIDA 1 - LUÍS BARROS VENCE À GERAL

A primeira corrida do ano no CPVL foi animada mas Luís Barros não deu hipóteses e foi o vencedor à geral da prova e na sua categoria (Super Trophy).

Luis Barros (Ford Sierra RS 500) depressa foi para a frente da corrida, que liderou com boa vantagem até ao primeiro Safety Car, que juntou novamente todo o pelotão.
Não demorou a que Barros dilatasse novamente a margem face a Manuel Fernandes (BMW 320d) com o Volvo 850 R de F. Matias e R. Macedo em terceiro, até que novo Safety Car, voltou a reunir todo o pelotão, depois de um despiste de um concorrente depois da parabólica interior.
No recomeço da corrida bastou uma volta para o piloto do Ford Escort Cosworth se destacar novamente, numa luta desigual, o que não sucedeu no meio do pelotão onde existiram vários interessantes duelos, por exemplo na nova Atomic Cup, dos Honda Civic Type R, com Eduardo Leitão e Felipe Barreto bem juntos com Hugo Oliveira e Sérgio Azevedo um pouco mais atrás. A corrida terminou pouco depois com as mesmas posições.

CORRIDA 2 - LUÍS BARROS VOLTA A TRIUNFAR NO ESTORIL

Luís Barros voltou a impor o seu Ford Sierra RS500 e a vencer à geral (e por conseguinte na sua categoria) nos Legends.

Na largada, Luís Barros manteve a liderança com o BMW 320D de Hugo Mestre ao ataque. No entanto, Mestre não conseguiu manter-se próximo de Barros que fugiu da concorrência. Tínhamos Barros na frente, seguido de Mestre, Rodrigo Macedo (VOLVO 850 R) e Hélder Moura (VOLVO S60 CHALLENGE), todos em Super Trophy. Mais atrás, as lutas eram muito boas, com João Sousa (HONDA INTEGRA)  a fazer um bom começo de corrida, à frente de António Barros (BMW M3 E36) , João Luís (Renault Spider) e de Marcos Oliveira (WESTFIELD).

Rui Gonçalves (HONDA CIVIC TYPE R) mostrava bom andamento e liderava em Super Turismo, com Artur Monteiro (CITROEN SAXO VTS) logo a seguir, líder da L99-1600. 

 

Como desistências nas quatro primeiras voltas tínhamos Sérgio Pinto (HONDA CIVIC) e Tiago Ribeiro (HONDA INTEGRA TYPE R) com um final prematuro de prova.

Na volta, 5 Marcos Oliveira aparecia parado em pista com o seu Westfield. Na frente Hugo Mestre ia sendo pressionado por Rodrigo Macedo, numa altura em que a paragem do Westfield levou a um Full Course Yellow, para remoção do carro da trajetória. Marcos Oliveira regressou à prova depois de ter perdido duas voltas. A situação de Full Course Yellow foi se arrastando, com alguns pilotos claramente em ritmo de corrida, mas com 10 voltas cumpridas a prova foi retomada. Com quatro minutos para o fim da prova Carlos Dias (HONDA CIVIC) ficava parado na reta da meta. O fim da corrida foi atribulado com Hélder Moura com problemas no seu Volvo e um acidente entre António Conceição, com Francisco Viola (HONDA CIVIC TYPE R – líder da Atomic Cup) e Olavo Ribeiro (PEUGEOT 306 S16).

O fim da corrida aconteceu pouco depois e Luís Barros carimbou mais um triunfo à geral e na sua categoria, seguido de Hugo Mestre que segurou o segundo lugar face aos ataques de Rodrigo Macedo. 

CLÁSSICOS

CORRIDA 1- JOÃO MACEDO E SILVA VENCE A PRIMEIRA CORRIDA

Na primeira corrida do CPVC, o autor da pole, João Macedo e Silva (Porsche 911) foi para a frente da corrida e ao cabo de oito minutos já tinha 5.5s de avanço para Joaquim Jorge (Ford Escort RS 1600) com Rui Costa (Ford Escort RS 1600) dois segundos mais atrás.
João Novo (Ford Escort RS 1600) era sexto e liderava o Grupo 5, quatro segundos na frente de João Cruz (Ford Escort RS 1600).
No final, João Macedo e Silva (Porsche 911) venceu com 18.796s de avanço para Joaquim Jorge (Ford Escort RS 1600) depois duma boa luta com Rui Costa (Ford Escort RS 1600). Costa chegou a passar pelo segundo lugar, mas Joaquim Jorge recuperou a posição mesmo na última volta. A corrida valeu por esta luta. João Cruz (Ford Escort RS 1600), venceu o Grupo 5, bem distanciado de João Novo (Ford Escort RS 1600) que chegou a liderar, mas não conseguiu manter a posição.

 

CORRIDA 2 - JOÃO MACEDO SILVA VENCE DE NOVO

João Macedo Silva (Porsche 911 RSR) arrancou da pole position para a corrida 2 da ronda inaugural do Campeonato de Portugal de Velocidade de Clássicos de 2022, com um preenchido pelotão de Ford Escort atrás do piloto do Porsche 911 RSR. Macedo Silva venceu e convenceu, numa corrida marcada por um incidente nos primeiros metros da corrida.
Após a largada, ainda na travagem para a curva 1, um toque de Rui Costa (Ford Escort RS 1600) na traseira do Ford Escort RS 1600 de Joaquim Jorge resultou numa grande confusão e ao abandono de alguns pilotos. Enquanto o Safety Car entrava em pista para possibilitar aos comissários de pista a retirada do carro de António Soares (Ford Escort RS 1600), que abandonou, Macedo Silva liderava o pelotão. Rui Costa e Rui Alves (Ford Escort RS 1600), que também esteve envolvido no incidente da primeira curva, pararam na box, com Costa a regressar à pista no fundo do pelotão e com danos no seu Escort, mas Alves também foi obrigado a abandonar. 
Quando o período de Safety Car terminou, Macedo Silva manteve a liderança, seguido de Joaquim Jorge. Tinham ainda abandonado a prova Artur Monteiro (Ford Escort RS 1600) e Paulo Frazão (Porsche 924).
João Cruz (Ford Escort RS 1600) e João Novo Júnior (Ford Escort RS 1600) disputaram o terceiro posto da geral e a liderança entre os grupo 5, com vantagem para Cruz. Os duelos não se ficavam por aí e mesmo com poucos carros em prova, Pedro Ferreira (BMW 323I) perseguiu durante várias voltas Luís Liberal (Ford Escort RS2000), até que conseguiu com sucesso ultrapassar o Ford e passar para o quinto posto até ao final da corrida. Pedro Poças (Porsche 924) terminou no sétimo posto e Rui Costa terminou no oitavo posto, depois dos danos sofridos no seu carro no incidente da primeira volta.

CPV1300

CORRIDA 1 - PRIMEIRO TRIUNFO PARA JOÃO BRAGA

João Braga (Datsun 1200) e José Fafiães (Datsun 1200) reservaram para si todas as despesas da corrida dos Clássicos 1300, rodando a primeira metade da corrida ‘colados’, mas depois, Braga foi para a frente e terminou com grande avanço para Fafiães (ficou com a caixa encravada em terceira velocidade e com isso teve de deixar fugir o João Braga).
Pedro Barbosa (Datsun 1200) foi terceiro a meio minuto do vencedor, com Manuel Fernandes jr. a levar de vencida o Desafio ANPAC, corrido com os Fiat Punto 85, depois duma excelente luta em pista com Tiago Silva e David Vieira, terminando os três separados por 2.5s, e os dois primeiros, por 1.124s.

 

CORRIDA 2 - NOVO TRIUNFO DE JOÃO BRAGA

A segunda corrida dos 1300 foi muito interessante até ao momento em que José Fafiães (Datsun 1200/H75) ficou fora da excelente luta que estava a ter com João Braga (Datsun 1200/H75) desde o início da corrida, deixando o piloto do Datsun 120 #13 sozinho até à meta. O duo alternou-se na liderança da corrida, mas problemas com o motor do Datsun 1200 deixaram o piloto de fora.

Desta forma, Pedro Barbosa (Datsun 1200/H75) foi segundo a 14.032s, com Manuel Fernandes (Fiat Punto 85) a vencer novamente o Desafio ANPAC depois doutra bela luta com David Vieira (Fiat Punto 85), que foi segundo a 6.899s, com Pedro Pimenta (Peugeot 106) a seguir-se-lhes na classificação como quinto da geral e vencedor dos Legends. Seguiram-se na classificação Tiago Silva (Fiat Punto 85), Ricardo Ferrão (Opel Corsa) e Marco Pinto Moura (Fiat Punto 85).

bottom of page